2 set

A confusa paradinha

Geral

De Vitor Birner

No fim do post, colei do site da CBF a explicação oficial do que é permitido ao jogador fazer no momento da cobrança do pênalti.

O problema, como de costume, quando tratam da regra do jogo, é que deixam uma brecha para proteger os árbitros.

No caso, um apitador pode considerar que a tal finta representa uma conduta antidesportiva, e outro talvez ache que a mesma jogada foi normal.

Como sempre lembro, falamos do mesmo esporte, confederação, campeonato, competição, mas não do mesmo critério para todos os jogos.

Esclarecimento da Comissão de Arbitragem da CBF sobre a Regra 14 – Pênalti

CBF NEWS

No livro de Regras do Jogo 2008/2009, na página 125, que trata das Interpretações das Regras do Jogo e Diretrizes para Árbitros, está autorizada a finta dos cobradores, como segue abaixo:

“O ato de utilizar fintas na execução de um tiro penal para confundir os adversários faz parte do futebol e está permitido. Todavia, o árbitro deverá advertir o jogador se considerar que tal finta representa uma conduta antidesportiva.”

Na página 41, o livro de Regras prevê o procedimento para cobrança do tiro desde a marca penal, e o goleiro deverá permanecer sobre sua própria linha de meta, de frente para o executor e entre os postes de meta até que a bola seja chutada.

Após a bola ser tocada, ao goleiro é permitida a impulsão, quer seja para direita, quer seja para a esquerda.

Por fim, a Comissão de Arbitragem da CBF determina aos árbitros que não façam considerações sobre as regras durante uma partida.

Escrito por Vitor Birner às 11:30 Vitor Birner 29 Comentários

Posts relacionados:

29 respostas a A confusa paradinha

  1. Cartola disse:

    Birner desculpe-me, mas mais uma vez não concordo com seu posicionamento. Não há nenhuma brecha para proteger o árbitro, muito pelo contrário ninguém está preocupado com o árbitro porque se você fizer uma enquete com eles verá que a preferência é para a determinação clara e objetiva sem deixar margem para interpretações. O problema é que deixaram nas mãos dos árbitros mais uma matéria interpretativa e sem nenhuma determinação oficial ou treinamento para normatizar a interpretação. Cabe cada um interpretar no jogo o que é abusivo ou não e, como você sabe, em cada cabeça há uma sentença. Não adianta por a responsabilidade nos árbitros o que está errado, no meu ponto de vista é claro, é o comando para definir isto claramente. Os árbitros, mais uma vez, serão massacrados pela imprensa esportiva num tema que uma simples e clara determinação resolvia qualquer polêmica ou simplesmente um curso com treinamento prático de ½ dia para explicar e normatizar a interpretação com todos os árbitros. Agora a culpa pela interpretação diferenciada caberá tão somente a eles e muitos da imprensa esportiva irão massacrar dependendo do interesse no jogo.

  2. Marcelo Branco, de H disse:

    Vizinho, em meio a essa discussão toda eu só espero que as pessoas não se esqueçam que o pênalti visa beneficiar o time que sofreu a falta dentro da área e não o time infrator. Estou cansado de ver os goleiros reclamando que está ficando muito difícil de fazer a defesa, quando o objetivo do pênalti é esse mesmo…

  3. Rodrigo Augusto disse:

    Birner, estou escrevendo não para falar do seu comentário acima, mas sim da despedida hoje do Aloísio.Uma pessoa sensacional, vai fazer falta ao tricolor.Desejo a ele muito sucesso, vi a entrevista dele agora pouco, e dá pra notar que ele é uma pessoa diferenciada, e ainda por cima deu aquele passe espetacular pro Mineiro na final do mundial contra o Liverpool.Parabéns Aloisio e sucesso, seu nome ficou marcado na história do Tricolor do Mobumbi!!!!

  4. Thiago Alexandre disse:

    Então pela página 41 a paradinha não é "ilegal", mas se o cobrador fazer a paradinha e o goleiro pular o juiz precisa mandar repetir a cobrança, correto?

    Abs!
    Thiago

  5. Visão Descone disse:

    Depois do que a conteceu com o Bruno do Flamengo mudei de opinião. Acho agora que o goleiro tem mais é que se estrepar mesmo. O pênalti é uma "penalidade máxima", ou seja é o que mais próximo do gol há que não o próprio. Então penso que o goleiro deveria ficar parado, com os olhos vendados e de costas para o cobrador. Mas, baseado na regra como ela é, ou melhor, como ela foi aplicada ao goleiro do Flamengo, achoe que a "paradinha" é válida e, se o goleiro cair ajoelhado para frente, que seja, e agarrar a bola ou impedir que a mesma entre em seu gol, a cobrança deverá ser repetida. Quero ver agora o Rogério "Minto" Cena agarrar mais algum pênalti. rsrsrs Aliás, acho que ninguém mais agarrará pênalti algum, assim mesmo, como tem de ser.

  6. Pacheco disse:

    O que ocorre é que o futebol paulista é muito melindroso. Se o cara tem talento e usa isso em prol de seu time fere o c´digo de ética dos boleiros. Fazer embaixadinha não pode, colocar a bola na nuca não pode, fazer o drible da foca também não pode. O Edilson Capetinha quase foi linchado em campo numa ocasião em que fez tres ou quatro embaixadas até voadora levou. Tem que acabar com esse código de ética. Se ele existisse na época do Garrincha o Mané tinha morrido no primeiro jogo.

  7. antonio sergio disse:

    Para mim a paradinha deve existir e o goleiro deveria dar um passo a frente, somente um e não 42 como Rogério Ceni faz. Que a técnica prevaleca sempre. Em relacao ao Aloísio. No Brasil existem 2 coisas muito fortes: fazer uma despedida e chorar vc vira um cara legal. A outra é morrer… vc vira santo.

  8. Randal disse:

    Simples.
    Antes de ser chutada a bola não está em jogo.
    O que se faz antes de isso acontecer, não deve ser previsto em regra.
    Querem complicar uma coisa simples.
    Os goleiros não são prejudicados. Basta eles ficarem aguardando a batida

  9. Raja disse:

    Este post não tem sentido. Se tivesse, teria que ser postado todo dia. Durante 90 minutos o árbitro tem que fazer considerações e usar seu critério pessoal. Em qualquer jogada, e não precisa ser cobrança de pênalti, o juiz deve interpretar o lance e avaliar se foi falta ou não. O juiz deve sempre avaliar se a bola saiu toda ou não, se a atitude de um jogador foi desrespeitosa ou não, se foi mão ou não, se a jogada foi violenta ou normal, se houve impedimento ou não, se o atacante participa ou não de uma jogada, etc. Tudo isso fica a critério subjetivo do árbitro. E é assim há mais de 100 anos. Só falta agora algum jornalista que vê mas não conhece o jogo querer computadorizar coisas subjetivas.
    Isso é futebol real, quem não gostar pode jogar videogame, onde as regras são expressões matemáticas programadas no processador e aí sempre haverá um critério objetivo. Graças a Deus o futebol não é assim! E não me venha com comentários de basquete e tênis. Estamos falando de futebol.
    Abraço

  10. José Cicero disse:

    Olá meu amigobirner, sou um dos São-paulino cordeiro, aqueles que sempre fica quetimho com tudo no morumbí, tambem estou bem longe de lá, hoje resido em Londrina-Pr. Tenho que reconhecer que o Marcos, o otimo goleiro do Palmeiras está certo em reclamar, pois o que o Alam Bahia fez com ele, é imoral, aquilo não é paradinha, e sim uma freada mesmo,pois passar o pé sobre a bola, deixar o goleiro cair e depois marcar o gol, é um absurdo, nenhum arbitro em sã conciencia pode aceitar uma barbaridade dessas, isso pra mim não é erro é roubo mesmo. Abraço.

  11. Camisa Negra disse:

    A paradinha deveria ser permitida na corrida do atleta em direção a bola, não no movimento final de chute.
    "Todavia, o árbitro deverá advertir o jogador se considerar que tal finta representa uma conduta antidesportiva."
    A paradinha que o atleta do Atlético-PR fez contra o Marcos foi antidesportiva.

  12. Raja disse:

    Camisa Negra, quando você estiver apitando um jogo de futebol, você pode pode advertir quem você quiser. E qualquer um poderá falar o que quiser de você. Quando outro estiver apitando, este outro vai analisar se foi conduta antidesportiva ou não. Cada macaco no seu galho!

  13. gornes disse:

    Birner, boa tarde!

    Gostaria de te perguntar uma coisa, nada a ver com o post.

    Pelo que me lembro, o mineiro deixou o time dele na alemanha, certo? Até onde eu sei, ele não acertou com nenhum time europeu na janela, certo?

    Concluindo, será que ele não deve pintar em algum time brasileiro nos próximos dias (não necessariamente no spfc)?

    Valeu!

    Abraço!

  14. Raja disse:

    Alessandro-Independiente, as regras que você citou são claras e objetivas. Não há dúvidas sobre isso no papel ou aqui no blog. Refiro-me à aplicação real da regras. Todo mundo sabe que não há impedimento no próprio campo, isso não é discutido, o que se discute é se o jogador estava ou não em seu campo! E por aí vai.
    abraço

  15. Luiz Vidal disse:

    Sou mais o Rodrigo Augusto .O comentario dele está perfeito.Penalidade maxima tem que ser tudo pro cobrador e nada pro defensor.Agora,os árbitros,seu Cartola,precisam ter um pouco mais de competencia e não entrarem na dos jogadores exxxpertoxxxxx…e agora,pra mal dos nosssos pecados,os bandeiras tambem dão seus palpites e são acatados,claro é mais fácil deixar a culpa nas costas dos auxiliares(ahh…as costas da Ana Paula!)….

  16. Robson disse:

    É fato que a regra visa apenas beneficiar o time que recebeu a infração. Agora, se é para deixar as chances tão mínimas assim, então dá o gol direto para o time que sofreu a infração e pronto. Daqui a pouco vão deixar o cobrador bater 3 vezes, para tentar fazer um gol.
    Por isso estou de acordo com goleiros que se adiantam. Na pior das hipóteses, o juiz manda voltar e pronto. Se eu fosse goleiro profissional e o jogador desse a "paradinha", eu me adiantaria até quase a risca da grande área. Se mandar voltar, pelo menos serviu para desestabilizar o cobrador.

  17. Camisa Negra disse:

    Raja, eu falei uma coisa e vc escreveu outra. Atitude antidesportiva, na minha opinião, do jogador do Atlético-PR. Aquela paradinha é um deboche com o goleiro.

  18. O futebol já está competitivo o suficiente para querermos acabar com estas poucas coisas que ainda estão mais para arte do que para a competição, a qual também gosto muito. Sou a favor da paradinha, sou a favor das cobranças do Djalminha e Marcelinho que só empurram a bola no penalti, sou a favor das embiaxadinhas do Denilson, dou a favor dos dribles do Ronaldinho, sou a favor do Olé que a torcida canta. Gosto muito do futebol competitivo, mas um pouco de graça também é bom.

  19. Raja disse:

    Uma pergunta para quem conhece as regras (eu não sei a resposta): Um zagueiro vai cobrar uma falta, próximo de sua própria área. Normalmente, o zagueiro chutaria a bola para o ataque. Esse nosso zagueiro, entretando, se agacha e toca na bola com a cabeça, empurrando-a para dentro da área e o goleiro pega a bola com as mãos e a repõe em jogo. Pergunta: a jogada é legal?

  20. José Cicero disse:

    Epa! pare ai, meu chapa,você acha que aquilo que o Alam Bahia fez foi paradinha, Sr Terencio Trindade? você é a favor de tudo e tem razão,pois eu gosto de vê é futebol bem jogado dissiplinado taticamente, do tipo Italia na final da Euro por exemplo, quando eu quero vê olé vou ve tourada. Abraço. Londrina é nós.

  21. Alessandro-Independiente disse:

    Raja, Raja…
    Discordo de vc em alguns aspectos. Essa de tudo é interpretativo é desculpa de torcedor que sempre quer puxar a sardinha para seu lado. Algumas coisas independem de interpretação: jogador saído do seu campo no caso de impedimento, saída de bola…Isso precisa ser bem apurado, não interpretado..
    O que vi de atleticanos falando que foi penalty porque houve desvio de trajetória não foi brincadeira. Agora, o que a regra fala: Intenção. Apenas isso. A regra não fala em bola indo em direção ao gol, mudança de trajetória..Acontece que os comentaristas globais explicaram que os árbitros usam esses critérios subjetivos para julgar a interferência de uma eventual mão na bola no lance, e agora todo mundo toma como parte da regra: Se houve mudança de trajetória, se a bola ia em direção ao gol, o último homem tem que ser expulso..
    Outra coisa que muita gente diz que é interpretativa, mas na maioria das vezes, não é, é impedimento. Impedimentos como aquele que deixou a Ana Paula na geladeira no jogo do Botafogo podem ser interpretativos (E eu dei razão para ela, achei injusta a suspensão), mas a maioria não é. Um bom tira-teima mostra a verdade absoluta, longe de interpretações. Falar que o árbitro não tem o recurso e por isso errou é uma coisa. Falar que errou por causa de uma interpretação errada, acho completamente equivocada..

  22. Visão Descone disse:

    Não Raja, a jogada é ridícula. Mas, como a pergunta foi direcionada a quem conhece as regras… Esqueça. rsrsrsr

  23. Cesar Medeiros disse:

    Acho que o futebol está ficando muito difícil… Como é que vcs querem que o Obina jogue? Pena que a International Board não contemple as regras de pelada tais quais: estourada é da defesa; saída Bangu (aquela em que, após o Gol, o outro time dá a saída de sua própria área, geralmente ainda discutindo de quem foi a culpa…); pegou na mão é falta (deliberadamente é o cacete!); rodízio de goleiros, etc…

  24. José Albuquer disse:

    Big Birner,

    Se em uma falta comum de jogo há a possibilidade de se fazer praticamente tudo, inclusive "paradinha", embora nunca tenha visto, porque não no penalti? Além dos mais é a penalidade máxima, ou seja é marcada quando o adversário utilizou de artifícios não permitidos em lei (como uma butinada) para impedir que um jogador, que estava bem próximo do gol, fazer o gol. Outra questão é que o goleiro pode se mexer na linha do gol.

    Acho válida a paradinha.

    Ahhh…você vá viu o gol de penalti batido pelo Johan Van Crujff quando jogava no PSV. Incrível. Nunca tinha visto. Ele não bateu o penalti em direção ao gol, e sim para o lado, pois, de trás, vinha outro jogador do PSV que atraiu a atenção do goleiro, mas que, mais uma vez, também, não chutou em gol. Devolveu para o Crujff, em posição legal, só que sem goleiro e com o gol vazio. Foi só empurrar para dentro do gol.

    Abraços,

  25. Fabiano Filho disse:

    Birner, quanto a parte do texto que arbitra "Após a bola ser tocada, ao goleiro é permitida a impulsão, quer seja para direita, quer seja para a esquerda." fica uma pergunta, se o jogador faz como Djalminha e cobra bem lentamente a bola, mas exagera e dá tempo para depois do goleiro caido, ele se levantar e correr para o outro canto, a cobrança deve ser repetida? ainda, se o jogador chuta tão fraco que a bola corre apenas quatro metros, o goleiro deve se ater apenas a impulsão ( pulo) e esperar o defensor ou ele pode ir de encontro a bola ( já parada) para fazer a defesa já que o cobrador nada pode mais fazer senão seria doist toques. O que me diz?

  26. Eduardo Inforzato disse:

    Birner,

    sou sempre a favor do gol, contudo concordo com o Marcão, a indefinição não pode continuar…..

    abraços!!!

  27. AUGUSTO CESAR FERREI disse:

    Birner,teria que permitir que o goleiro desse pelo menos um passo pra frente.
    -Washingtom,T.Neves e Conca por que não deram a paradinha?

  28. Diego Alexandre disse:

    O complicado, Birner é que os árbitros se negam a dizer qual é seu critério, se negam a dizer tanto aos torcedores quanto aos jogadores…
    Eles podiam dizer, não vejo mal nenhum: "meu critério é que pode" ou "meu critério é que não pode" e ponto.

  29. Pacheco disse:

    Alessandro Independente, todas as semanas, quase todas as rodadas tem bola na mão de jogador do São Paulo. Lembra contra o Botafogo? E mais duas ou tres vezes depois disso que o jogador da barreira fez a defeza no lugar do Rogerio Cenni? O que acontece é que como o Rogerio anda fazendo gols, os jogadores de linha do São Paulo acham que tem direito de defender também. Só que algumas vezes vcs acham pela frente um juiz que não está na folha de pagamento do São Paulo e acontecem esse monte de reclamações que vc vê aki. Se fosse lá na outra área vc estaria chorando e pedindo a cabeça do juiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>