18 mai

Peixe medroso e sem personalidade perde do Vélez. Neymar sumiu contra o primeiro adversário de bom nível do time de Muricy em duas Libertadores

Análise de jogos, Copa Libertadores

De Vitor Birner

Vélez Sarsfield 1×0 Santos

O Peixe enfrentou seu primeiro adversário de bom nível técnico desde a Libertadores passada.

O melhor time que o Santos havia encarado na competição tinha sido o América do México, ano passado.

Os comandados de Muricy decepcionaram.

Começaram muito atrás, aparentemente com medo, e erraram passes em demasia.

O desempenho do sistema ofensivo santista, incluindo o de Neymar, foi ruim demais.

Muricy disse que o desgaste físico dos boleiros comprometeu.

O Vélez aproveitou e mandou no jogo. Foi superior desde o início e mereceu ganhar.

Me assustou a falta de personalidade do atual campeão do continente.

Não há favorito á vaga na semifinal nesse confronto.

Escalações

Vélez Sarsfield – Barovero; Peruzzi, Cubero, Sebastian Domínguez e Papa; Augusto Fernández, Cerro (Canteros), Zapata e Cabral (Bella); Martínez (Ramirez) e Óbolo. Técnico: Ricardo Gareca.

Santos – Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano (Felipe Anderson), Paulo Henrique Ganso e Neymar; Alan Kardec (Borges). Técnico: Muricy Ramalho.

Erro estratégico

O Santos deveria pressionar a saída de bola para evitar que o Vélez trocasse passes na meia.

O time comandado por Ricardo Gareca, dono de uma das torcidas mais geladas da argentina, trabalha bem a bola no meio-campo.

O forte da equipe argentina é a qualidade do passe.

Mesmo sabendo disso, o Peixe se posicionou atrás.

Os volantes Elano e Arouca, ao invés de participarem da criação e da manutenção da bola, passaram o primeiro tempo ajudando Adriano a fazer a parede em frente à zaga.

Ganso, bem marcado e sem ter com quem jogar, errou passes e acabou sendo obrigado a priorizar a marcação.

Neymar, responsponsável pelos contragolpes, teve que recuar até o meio para tentar iniciar o contra-ataque.

Se ficasse mais adiantado, precisaria trombar com os defensores do rival para ficar com a gorduchinha, pois o Santos só deu chutão da defesa para o ataque.

O meio-campo não jogou.

Isso ajudou bastante o anfitrião.

Vélez anula Neymar e manda

A equipe hermana mandou na etapa inicial.

Anulou Neymar deixando sempre um dos volantes perto dele e alguém na sobra.

Outro aspecto importante foi a pressão na saída de bola santista. A dita cuja só chegou torta ao melhor jogador do continente.

O Vélez jogou no campo de defesa do atual campeão da Libertadores.

Os volantes Cerro, na esquerda, e Augusto Fernandez, na direita, alternaram os avanços para ajudar na criação e chutes de média distância.

O lateral-esquerdo Emiliano Papa, que joga do lado que Neymar usa menos, também apareceu diversas vezes no apoio.

Zapata e Cabral, os meias, e Martínez, técnicamente o principal jogador da equipe de Gareca, trocaram passes na meia, sem pressa, em busca do espaço na bom sistema defensivo do Peixe.

Como não conseguia superá-lo, o Vélez arriscou muitos chutes de média distância e cruzamentos.

Gol com a cara dese Vélez Sarsfield

O gol aconteceu aos 35 minutos. Teve a cara do time comandado por Ricardo Gareca.

Começou com a troca de bola na direita até Fernandez inverter o jogo com um passe perfeito para Emiliano Papa.

Elano estava marcando o lateral, mas não da maneira correta. Deu espaço para Papa cruzar. Óbolo, o centroavante, se antecipou e cabeceou por cima de Rafael.

Peixe melhora, mas não o bastante

O Vélez tem aquilo que se chama de time equilibrado. Não costuma ir de maneira transloucada ao ataque.

Em vantagem no placar, recuou um pouco no segundo tempo.

O Santos, que precisava entrar de verdade no jogo, adiantou a marcação.

O Vélez continuou superior, porém não conseguiu mais trocar passes no ataque com tanta facilidade.

e pobre em chances de gols.

Muricy tenta melhorar o sistema ofensivo

O treinador optou por Borges, aos 12, no lugar de Alan Kardec. Apostou no atacante que se mexe e perdeu força na bola aérea ofensiva.

Não adiantou.

Defesa falha nos cruzamentos

O Vélez teve chances de ampliar nas bolas levantadas na área.

Sebá, aos 17, teve ótima oportunidade.

Aos 21, Martínez, de cabeça, após cruzamento de Papa, ajeitou para Fernandez, de voleio, obrigar Rafael a fazer difícil defesa.

Aos 29, Muricy substituiu Elano por Felipe Anderson.

Aos 31, Fernandez, de fora da área, assustou o goleiro santista.

Aos 39, Cabral chutou e Rafael deefendeu.

Aos 40, Cabral saiu e Bella entrou.

Aos 43, o reserva chutou com perigo contra o gol de Rafael.

Números explicam

Foram 17 finalizações do Vélez contra 5 do Peixe.

Tem qualidade

O Santos possui jogadores de qualidade para mostrar muito mais futebol.

Deve ter postura bem diferente na partida de volta.

Não há favorito à vaga na semifinal.

394 respostas a Peixe medroso e sem personalidade perde do Vélez. Neymar sumiu contra o primeiro adversário de bom nível do time de Muricy em duas Libertadores

  1. Thiago Lima disse:

    Birner, da pra dizer que esse time do Velez, joga de maneira tão equilibrada quanto o Corinthians?

    Abraços e parabes pelo trabalho

  2. Paulo Eduardo disse:

    Caro Birner.

    Dois fatos a serem destacados :

    1. Quando o Neymar joga, o Santos é chamado de Santástico. Quando, o Neymar não joga, o Santos pode ser chamado de SPFC, “curintia”, Palmeiras, Vasco, Flamengo ou qualquer outro nome. É japones, como todos os outros.
    2. Estou chegando à conclusão, que o Neymar, é um craque caseiro. Passou da ponte da amizade………amarela.
    Vai fazer o que na Europa, hein ??
    Têm que continuar no Boqueirão………….

  3. carlos disse:

    vcs estao esquecendo de um detalhe importante, pois nao esta nada perdido, sao jogos de 180 minutos, ou seja , só acabou o primeiro tempo, tem o jogo de volta ainda, meus pessimistas de plantao, que na maioria sao corinthianos que torcem contra o santos ou uns pagapaus de argentinos que temos no brasil, nao sei por que, bem, tem o jogo de volta, nao cantem vitoria antes, o santos pode reverter essa vantagem, pro seus desgostos….

  4. Omar disse:

    É uma pena, Neymar precisa jogar bola contra times internacionais e seleções, pois ate hoje, irreconhecivel com a amarelinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>