14 mar

Demissão de Ney Franco seria um ato impulsivo da direção do São Paulo. Juvenal e Adalberto Batista precisam ser racionais

Birnadas

De Vitor Birner

Me lembro que o São Paulo tentou contratar Paulo Autuori após demitir Paulo Cesar Carpegiani.

O treinador recusou o convite e Adilson Batista foi o escolhido.

Mesmo assim, Autuori nunca foi o primeiro, segundo ou terceiro nome preferido do presidente são-paulino.

As circunstâncias de mercado e o respeito da torcida são-paulina, que Autuori conquistou junto com os títulos da Libertadores e do Mundial em 2005, podem fazer o presidente ceder.

A pressão dos conselheiros, tal qual Menon citou no blog dele, não tem força para fazer o presidente interromnper o trabalho de Ney Franco.

Quem decide as coisas do futebol do São Paulo é Juvenal Juvêncio.

Nos últimos tempos, o diretor de futebol Adalberto Batista ganhou muita força, também toma decisões, e pode influenciar na mudança do comando técnico do time.

Não sei qual é a posição de Adalberto neste caso.

Publicamente, tem feito elogios ao Ney Franco.

Opinião

Seria um erro demitir o Ney Franco, mesmo se o Tricolor não chagar ao mata-mata da Libertadores.

O trabalho dele tem lógica, inteligência e embasamento tático, apesar do time não ter se acertado na atual temporada.

O São Paulo pode crescer a qualquer momento. Não é uma bagunça coletiva.

Precisa de pequenos ajustes e da melhora no desempenho individual de alguns jogadores.

E o técnico, se reparar que alguns atletas não conseguem executar funções táticas, precisa fazer as mudanças.

Lembro que ano passado, após resultados como a derrota para o Atlético-GO e o empate diante do Palmeiras, as reclamações foram iguais as de hoje, e o time, quando vários são-paulinos não acreditavam, se acertou e conquistou a vaga na Libertadores.

A linha que divide o São Paulo competitivo do São Paulo que hoje em dia vacila, é tênue.

As decisões da direção são-paulina precisam ser técnicas, não impulsivas e emotivas

258 respostas a Demissão de Ney Franco seria um ato impulsivo da direção do São Paulo. Juvenal e Adalberto Batista precisam ser racionais

  1. Anderson disse:

    Caro o Birner, o tricolor tem que demitir logo o Ney Franco, antes que o barco afunde – desclassificação.
    O SPFC peca pela demora, tem que fazer como Santos em 2011 e o Inter em 2010, conseguiram se livrar do técnico e levantaram o caneco.

  2. Anderson disse:

    Como sugestão, indico o Mano Meneses

  3. juventil olimpio disse:

    O NEY FRANCO pisou na bola o time nunca tinha jogando com três zaqueiros com ele e justamente no dia que o SÃO PAULO PRECISAVA GANHAR e quiz jogar com os três zaqueiros deu no que deu ele tem e que treinar o time para jogar com um volante e dois meias com cãnetes,luiz fabiano e osvaldo esse seria o certo ou então 4x3x3 mais com o cãnetes na direita e não o aluisio

  4. DT disse:

    [16:40:29] Denizard Terenzzo: FORA NEY FRACO!!! o SPFC precisa de um técnico profissional, não um para os juniores… EM TODOS OS GRANDES ELENCOS VAI EXISTIR PICUINHA, COM O SPFC Ñ SERIA DIFERENTE… Muricy já teria dado um jeito no Ganso, no Lúcio e quem quer q seja, não ganhamos nenhum jogo importante esse ano.. o SPFC foi o primeiro a começar treinar, já era para estar com excelente ritmo de jogo. Com um time limitado, o Palmeiras quase ganhou de nós, o Santos ganhou, o Atlético ganhou… Perder para esse time HORRÍVEL que é o Arsenal “B” é uma vergonha!!! FORA NEY FRACO!!! Qual foi sua nota ontem??? Pela primeira vez admitiu q o SPFC ñ jogou bem, o SPFC só jogou bem o primeiro jogo contra o Bolivar (time horroroso por sinal), de resto, NÃO JOGOU MAIS NADA… FORA NEY FRANCO!!! Precisamos de um técnico com estrela e culhão… e vc não tem nenhum dos dois!!! FORA NEY FRACO!!!

    • Belle disse:

      O Muricy não deu jeito no Ganso quando estava no Santos, porque daria jeito nele no SPFC? Nenhum treinador dá jeito no SPFC com os jogadores jogando essa bolinha sem vontade que estão apresentando. A diretoria tem que entrar em ação, enquadrar meia dúzia, dispensar de vez o Denilson que está com a cabeça no Arsenal e cobrar forte o Ganso e o Lúcio pelas atitudes pouco profissionais. O treinador tem feito seu trabalho, infelizmente quase nenhuma peça está rendendo.

    • Valter Souza disse:

      Não queremos o Muricy pra da Jeito no Ganso e sim pra montar um time!!!

  5. João Sardinha disse:

    É verdade que os dirigentes de times brasileiros não tem paciência com os treinadores. Mas, também é verdade que muitos treinadores não ajudam mesmo. Nesse time incluo o Ney Franco. Ney começou a carreira com um futuro promissor, quando treinou o Ipatinga time até então desconhecido, dava prazer ver o time jogar. Seu esquema era ofensivo, o time jogava pra frente mesmo sem grandes nomes no elenco. Até mesmo na seleção sub 20 Ney fez um grande trabalho. A pergunta que se faz agora é a seguinte: Por que Ney Franco mudou? Por que Ney Franco treinador do São Paulo FC Tri mundial, para jogar contra o Arsenal de Sarandi time de segunda linha da Argentina entra com um esquema pra lá de defensivo? A resposta é simples: Quando treinava o Ipatinga e depois com a Seleção de jovens o Ney Franco não dependia de resultados para permanecer no cargo, seu cargo de treinador estava mais do que garantido, então Ney Franco não tinha receio de armar seus times no ataque sem medo de ser feliz e isso deu certo. Após vir para o São Paulo FC Ney resolve mudar, colocar o time no ataque é correr riscos demais, é colocar seu emprego em cheque, muita gente boa faz isso e Ney não foi diferente. Primeiro meu emprego, o resto a gente dá um jeito. Essa filosofia é fulgaz dura pouco e quem trafega por essa via no final quebra a cara. Coincidentemente, essa é a mesma explicação que se dá para justificar a pouca ou quase nula paciência que o Ney Franco tem com o Ganso. Pra que colocar um jogador no time que não corre como um louco? Um jogador que ainda tem limitações físicas e não entra pra rachar, mesmo sendo um craque? É preferível mil vezes Canhete, Maycon Wellington, Denilson, Douglas etc.. E assim com seus medos e temores Ney Franco está PRESTIGIADO no São Paulo.

  6. Valter Souza disse:

    Victor Birner o protetor dos Pardais, nunca viu lógica em escalar lateral no ataque, volante na lateral, zagueiro direito na esquerda, e deixar craques no banco…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>