29 out

Cruzeiro vence o Santos em jogo equilibrado; Robinho perdeu gol incrível e arbitragem errou ao não validar o de Ricardo Goulart

Análise de jogos, Copa do Brasil

De Vitor Birner

Cruzeiro 1×0 Santos

O líder do Brasileirão mandou no jogo enquanto acertou a marcação na saída de bola.

Foram 25 minutos de amplo domínio dos celestes.

Depois, por falta de pernas em alguns momentos e por erros coletivos noutros, não conseguiu mais pressionar, no ataque, e o jogo ficou equilibrado.

O Peixe voltou do intervalo melhor que a Raposa.

Em 10 minutos perdeu duas grandes chances.

A segunda, com Robinho, foi impressionante.

Os erros no chamado último passe e de finalizações impediram o Santos de conseguir o importante gol no campo do adversário.

O Cruzeiro, com a proposta de marcar no campo de defesa e contra-atacar, não executou de maneira correta os lances de velocidade, mas quando o fez a arbitragem interferiu no resultado prejudicando o time.

Não houve o impedimento de Julio Baptista no gol invalidado de Ricardo Goulart.

A classificação para a final continua imprevisível.

Ninguém mostrou grande superioridade no neo-Mineirão, que raramente fica cheio porque os preços dos ingressos em alguns setores são absurdos, e não há como dizer que alguém será capaz de fazer isso na Vila Belmiro.

Obviamente, o Cruzeiro está um pouco à frente na disputa pela vaga na final porque ganhou e se balançar a rede no mítico estádio santista poderá perder pela diferença mínima.

Proposta e tática

Cruzeiro e Santos começaram o jogo no 4-2-3-1

A Raposa com Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e William, da direita para a esquerda, e Julio Baptista à frente do trio de criação.

O Peixe com Rildo, Lucas Lima e Robinho, na devida ordem, e Gabriel mais adiantado.

O desenho tático igual prevaleceu menos que as propostas diferentes.

O time de Marcelo Oliveira começou de maneira ofensiva e o de Enderson fez o contrário.

Vinte e cinco minutos de Cruzeiro

Os Celestes pressionaram a saída de bola desde o começo.

Os santistas iniciaram as tentativas de recuperá-la na linha que divide o gramado e apostaram bos contra-ataques.

A proposta cruzeirense, enquanto o time teve pernas para manter a marcação adiantada, deu ao time a superioridade no confronto.

Os comandados de Enderson Moreira não conseguiram fazer a transição da defesa ao ataque, com a gorduchinha na grama, e a ‘devolveram’ nos lançamentos longos, a chamada ligação direita, para o adversário.

O Cruzeiro aproveitou e ficou com ela no campo de ataque, em busca do espaço para transformar a superioridade em resultado.

Inversões

A Raposa começou atacando mais pela esquerda.

Ricardo Goulart se aproximou de William e o lateral Egídio fez o mesmo.

O sistema defensivo do Peixe, daquele lado, contou com Cicinho na lateral, o volante Alison e Rildo.

Do outro, onde Everton Ribeiro e Mayke trabalharam, E Ricardo Goulart tentou ajudar na construção dos lances de perigo, Mena, Arouca e Robinho foram os encarregados da marcação.

Os volantes Henrique e Lucas Silva, de forma alternada, ajudaram o sistema ofensivo, mas com precaução, pois o Santos, repito, de propôs a contra-atacar e tinha velocidade para colocar em prática esse plano.

Ao notar que o volume de jogo ofensivo do seu time não se transformava em chances claras, Marcelo Oliveira pediu, como faz desde o ano passado, para os jogadores trocarem de posições.

Em alguns poucos momentos, Julio Baptista, apagado, trocou de papel com Ricardo Goulart.

E por cerca mais tempo Everton Ribeiro foi atuar na esquerda e William, o mais perigoso no 1° tempo, na direita.

Minutos após a inversão, William, na direita, chutou cruzado, na área, David Braz falhou ao tentar afastar ou dominar a bola, e o atacante, de esquerda, com a parte de dentro do pé, chutou conscientemente na direita, colocou a redonda exatamente onde queria e Aranha não tinha como pegar.

Equilibrado

O Cruzeiro manteve o domínio das ações durante 25 minutos, quando foi obrigado a recuar porque não tinha condição física de permanecer até o fim marcando na frente.

O time já fez, na atual temporada, 3 ou 4 jogos a mais que em toda a anterior e ainda disputará entre 8 e 10 a mais até final do ano.

A Raposa adotou a ideia tática igual a do Santos.

E o Peixe, com espaço para sair da defesa trocando passes, passou a ter mais posse de bola no campo de ataque.

Mas não criou nenhum lance de perigo para o goleiro Fábio.

O ídolo da nação celeste quase nada teve o quê fazer.

Faltou aos cruzeirense o contra-ataque.

Havia espaço para isso e não acertaram nenhum.

Santos cresce

O Peixe voltou do período de descanso mostrando futebol melhor.

E o Cruzeiro piorou.

Ficou perdido entre a marcação na saída de bola e a espera na linha que divide o gramado.

Mayke e Egídio ficaram um pouco desprotegidos por causa da distância entre os

Aos 5, no lance de enorme desatenção dos celeste, que deixaram Mena, livre, para cruzar e Lucas Lima, na área, finalizar com todos marcadores distantes, o Santos perdeu a chance de igualar.

Aos 10, no lance que começou do outro lado, Lucas Lima tocou para Rildo ir à linha de fundo e tocar para trás.

Fabio rebateu mal e a bola ficou para Robinho, na pequena área, com o goleiro caído, chutar com força, como se fosse estufar a rede, e por cima do gol.

Prejudicou a Raposa

Entre esses dois lances de enorme perigo contra o time de Marcelo Oliveira, houve um erro da arbitragem.

William recuperou a bola no meio, com quase todos jogadores do Santos na frente, correu com ela até a área e tocou para Julio Baptista finalizar.

Aranha evitou que ela entrasse e Ricardo Goulart, no rebote, fez 2×0.

Mas o gol foi invalidado porque o auxiliar viu o impedimento, que na minha opinião não aconteceu, do veterano.

O Cruzeiro foi, por incompetência dos responsáveis pela regra, não porque houve qualquer espécie de má fé, prejudicado neste importante lance.

Tudo em vão

Em nenhum momento da etapa complementar os celestes conseguiram repetir o futebol dos 25 minutos iniciais.

E nem marcaram de maneira elogiável.

Perderam força no contra-ataque quando William, o destaque do confronto, com dores, aos 19, saiu e Dagoberto entrou.

Enderson, logo em seguida, tirou Gabriel, que quase não apareceu, e colocou o meia-atacante Serginho.

Os treinadores tentaram resolver os problemas fazendo outras alterações.

Aos 28, Julio Baptista, que tecnicamente deve desde quando foi contratado e fisicamente, porque se machucou e ficou vários confrontos fora, não está em boas condições, tal qual o desempenho dele mostrou, saiu e Marcelo Moreno entrou.

O Santos, com a iniciativa de atacar e mais presença no campo de ataque, falhou no último passe e, quando criou a chance, também na finalização.

Aos 30, Alison, livre na entrada da área, chutou por cima da trave.

Aos 31, Jorge Eduardo ocupou o lugar de Rildo.

Aos 32, Everton Ribeiro, que não chegou nem perto de reeditar suas melhores apresentações, deu lugar ao Marlone.

Marcelo Oliveira claramente se preocupou em aumentar a pegada no meio-campo e manter a velocidade do contragolpe.

Leandro Damião no lugar de Robinho, que jogou mal, aos 36, foi a última cartada de Enderson para o Santos igualar.

As mexidas quase não surtiram efeito.

Após elas, o Santos piorou e o Cruzeiro, nos minutos finais, em dois contra-ataques, ambos na direita, poderia ter feito o gol.

Aos 45, Mayke cruzou a bola atrás de Ricardo Goulart e passado um minuto acertou o levantamento na área, mas Dagoberto, livre, de primeira, chutou e Cicinho desviou a bola para fora.

Aberta

Não há favoritos para a classificação à final.

O jogo na Vila Belmiro é imprevisível.

O Cruzeiro, é óbvio, tem chance um pouco maior porque ganhou e não sofreu gol em casa.

Achei o resultado injusto porque a arbitragem errou ao dar o impedimento de Julio Baptista no gol de Ricardo Goulart.

Mas só por isso mesmo, pois o jogo, em geral, foi equilibrado e o Peixe não balançou a rede por causa de falhas nas finalizações, o que é problema apenas de Enderson Moreira e seus boleiros.

Escalações

Cruzeiro – Fábio; Mayke, Léo, Dedé e Egídio; Lucas Silva e Henrique; Éverton Ribeiro (Marlone), Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto); Julio Baptista (Marcelo Moreno)
Técnico; Marcelo Oliveira

Santos – Aranha; Cicinho, Davis Braz, Edu Dracena e Mena; Arouca e Alisson; Robinho (Leandro Damião), Lucas Lima e Rildo (Jorge Eduardo) ; Gabriel (Serginho)
Técnico; Enderson Moreira

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Rodrigo F. Henrique Correa
Público: 25.714 pagantes – Renda R$ 1.029.363,00

23 respostas a Cruzeiro vence o Santos em jogo equilibrado; Robinho perdeu gol incrível e arbitragem errou ao não validar o de Ricardo Goulart

  1. Leonardo Carvalho disse:

    É impressionante como os árbitros erram contra o Cruzeiro. Dizem que é má qualidade, será? Porque já erraram descaradamente contra o ABC. Parece que estão tentando desestabilizar o time. Dois pênaltis não dados a favor do Cruzeiro e inventaram outro para o ABC. Contra o Vitória, um pênalti não dado em cima do Everton e um impedimento mal marcado. Contra o Palmeiras, o Egídio não teve nenhuma intenção, foi bola na mão, ou seja, seria gol, mas árbitro, sempre para prejudicar o Cruzeiro. No campeonato Brasileiro já prejudicaram contra SP, Atlético, Criciúma, Goiás, Fluminense, Coritiba, isso só no primeiro turno. No segundo, prejudicaram contra Vitória e Palmeiras. Poxa parem de errar contra o Cruzeiro. Esses erros estão muitos suspeitos. Se a arbitragem erra de boa-fé, erraria também a favor. Mas ela sempre erra contra o Cruzeiro.

  2. Johnny Santista disse:

    O problema foi não ter feito o gol fora, mas…ainda dá.

  3. irineu disse:

    Aqui no brasil não temos mais jogadores que saibam chutar para o gol, só chutões para fora: Por cima, de lado, fraco nas mãos do goleiro, cai na hora de chutar, TROMBA toda hora, tá braba a coisa. É oque restou do nosso falido futebol!!

  4. Antônio Carlos disse:

    Vítor Ernesto Biiiirrrrrnnnerrrr!!! Você ou algum dos amigos que acompanham o Blog Me dê uma informação “Pelamordedeus”!!!

    Se o Flamengo conseguir passar pelo Atlético Mineiro, ele tem o direito de jogar a segunda partida da Final no Maracanã (por que decidiu a vaga na Final fora de casa) ou vai depender de sorteio?

    Pergunto porque preciso comprar as passagens p´ra assistir a final e como eu vou usar pontos Tam fidelidade, tenho que comprar com certa antecedência.

  5. ANTUIR disse:

    O CRUZEIRO DOMINOU O JOGO MAS NÃO TRADUZIU O DOMÍNIO EM GOLS. O TRIO DE ARBITRAGEM AINDA PREJUDICOU O CRUZEIRO VERGONHOSAMENTE, INVALIDANDO UM GOL LEGAL, COMO VEM ACONTECENDO QUASE SEMPRE. AINDA ASSIM DÁ PRA CHEGAR À FINAL E AO TÍTULO CONTRA O FLAMENGO.

  6. fred disse:

    mais uma vez o apito amigo funcionou para os lambari, lamentavel

  7. Alex Lima disse:

    Esse jogo mostrou a cara do futebol brasieliro…sou santista desde que lembro!
    E sinceramente, o Santos vem deixando de empolgar a cada temporada!

    O Cruzeiro bi-campeão brasileiro, não passa de um time com jogadores regulares e bem armado… um time chato!

    Não sei se pelo fato de ser santista aprecio o futebol vistoso, alegre e as vezes inconsequente, que convenhamos, nenhuma equipe no Brasil apresenta, e nem vai apresentar por um bom tempo!

  8. Luiz Roberto disse:

    Prezado, gostaria de saber por que um trio carioca para apitar este jogo,???

  9. Agostinho Júnior disse:

    Se o auxiliar não tivesse interferido o placar seria melhor e nos daria mais tranquilidade.

    De qualquer forma, 1 x 0 no mata-mata é melhor que 2 x 1 e por aí vai.
    Bom placar!

    Vamos com tudo para cima de Botafogo e Criciúma!

    Zero!

  10. Paulo Ferreira disse:

    O Cruzeiro foi descaradamente garfado com um gol legítimo anulado ontem no mineirão. Estão fazendo os torcedores de otários! Será que a diretoria do Cruzeiro está envolvida nessa maracutaia? Querem brecar a hegemonia dos times mineiros a todo custo, inclusive com manobras nos bastidores. A quem interessa colocar um carioca e um paulista na final? Vejo muitos $$$$$ nessa armação, com o provável dedo da GLOBO e da CBF !!!

  11. GUILHERME LEVY disse:

    Birner, o Cruzeiro fez o que quis com o Santos, não teve equilíbrio nenhum.
    Pressionou até fazer o gol, descansou da maratona, fez mais um depois do curto descanso do intervalo (perdoável o erro por centímetros), cometeu um dois erros na defesa, o que é absolutamente normal, e poderia ter feito o terceiro no final, como você bem frisou.
    O Cruzeiro é tão superior que está se dando o luxo de descansar da maratona durante os jogos, e queimando um pouco da gordura acumulada na primeira parte da temporada.
    Meu Santos mais uma vez estará fora da final, mas mesmo assim irei à Vila ver o jogo da volta, que promete ser um grande jogo.

  12. fernando disse:

    Que bom saber que você e torcedor do melhor clube da Argentina, meu querido Rosario Central.
    Eu moro em São Paulo a 1 ano e faz pouco tempo fiquei sabendo que você torcia pelo Rosario Central, me enche de orgulho saber o grande clube que somos e saber que aqui no Brasil e muito reconhecido.
    ABRAÇO GRANDE!.

    Fernando Catrari.

    • Vitor Birner disse:

      Conheci Jose Poy quando eu era criança.
      A torcida do Central recebeu a do São Paulo na final da Libertadores contra os Pinguinos Pecho Frios.
      Ela é amiga da Funebrera, que gosta do São Paulo (clube pelo qual torço).
      Rosario é uma das cidades mais legais que há.
      A hinchada canalla, para mim, é a mais bonita do mundo.
      Costumo ver todos os jogos do time na internet.
      Inclusive nos três anos em que ficou na segunda divisão e naquele fatídico jogo, da queda, contra o inexpressivo All Boys.
      Em meados dos anos 90, antes de eu trabalhar como jornalista, levei uns amigos ‘canayas’ ao gramado do Morumbi, naqueles tempos em que qualquer um podia entrar no estádio quando quisesse, no treino do time para um jogo de uma competição sul-americana (acho que da Copa Conmebol. Certamente não era da Libertadores), para pegarem algumas pedras vermelhas do lado em que o Gamboa perdeu o pênalti contra o Zetti e levarem à sede deles.
      Apesar dos altos e baixos, e dos limites técnicos curtos, gosto deste time do Miguel Angel Russo porque tem muito ‘huevos’, tal qual mostrou nos 3 clássicos épicos depois do retorno à primeira divisão, e fará na reta final da Copa da Argentina.
      Forte abraço!

  13. Pedro Alcantara disse:

    Para acabar de vez com a discussão sobre quem é time grande e quem é time médio: desde o início do Campeonato Brasileiro, nenhum clássico sem o Corinthians foi exibido na TV aberta. Santos x Palmeiras, Palmeiras x São Paulo, São Paulo x Santos e Palmeiras x Santos foram trocados por outros jogos, enquanto todos os confrontos entre o Corinthians e seus rivais foram exibidos pela Rede Globo.

    • ROCCO-SP disse:

      Isso nao quer dizer que e time grande !
      ISSO CHAMA-SE AUDIENCIA DIRIGIDA !
      E natural um TIME ESTATAL formar uma REDE !
      E igual ao horario politico gratuito !
      Somos obrigados a assistir, ou desligar a tv, isso para quem ainda nao possui TV PAGA !

      • ROCCO-SP disse:

        Ainda bem que na COPA DO BRASIL, a gente tem a ESPN , e na SULAMERICANA tem a FOX !
        Porque senao,quando o TIME ESTATAL esta fora da competiçao a PODEROSA e obrigada a passar CINEMA ESPECIAL !
        hihihiihihihihihihihihihihihihihihihihihiihiihihhihihihihiiiiiiihi !!!

  14. Velosão disse:

    Caro blogueiro, até onde irá esta roubalheira anti-Cruzeiro? Lamentável o que aconteceu ontem no Mineirão. O jogo foi parelho, ou seja, o Cruzeiro dominou no 1º tempo e o Santos foi melhor no 2º, apesar do gol legítimo anulado pelo péssimo bandeira, o qual não enxerga direito ou estava previamente mal intencionado. Colocar um trio carioca para apitar um jogo desta importância sendo que um time do rio está na outra semi-final? Muito estranho, não! Arrumações da Comissão de arbitragem da suspeitíssima CBF. O Cruzeiro é que abra os olhos para a próxima partida. Por que futebol os Celestes tem de sobra para passar pelo peixe. A conferir.

    • Dodô disse:

      Energúmeno ! Para de choradeira ! Você só enxerga o seu lado e o do seu timinho incompetente ! Me enfrente de frente ! Você não tem colhões para isso !

  15. cleomar disse:

    time do santos timinho de meninas mimadas!!!

  16. Bernardo disse:

    Conheço o bandeira que errou. É pessoa séria e honesta, está arrasado com o acontecido.

    Nenhum de vocês erra no trabalho? Fazem tudo pereito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>