10 dez

Torcedor do Flu deve se preocupar muito com a saída da Unimed; direção do clube será testada

Geral

De Vitor Birner

A direção do Fluminense será testada de fato por causa da saída da Unimed.

No futebol de hoje, quantidade de torcedores é sinônimo de mercado.

O patrocinador se comunica principalmente com este grupo de pessoas – lembro que a exposição vai além,  pois as pessoas que amam outros times veem os mantos dos rivais – ao estampar a marca na camisa.

A empresa identificada com o clube das Laranjeiras investia uma quantia desproporcional.

Superior ao padrão que vemos noutras agremiações.

Aliás, a dificuldade de times com mercados duas ou três vezes maiores que o do Flu de conseguirem patrocinadores fortes é grande, tal qual vimos a primeira divisão do campeonato brasileiro.

De agora em diante, a não ser que arrume outro privilégio atípico, a cartolagem do Fluminense precisará mostrar a competência que normalmente os gestores do futebol não possuem.

A tendência é que os dirigentes, nos próximos anos, sejam reprovados na tarefa.

Mesmo com enorme aporte financeiro para contratações e pagamentos de salários, o Flu foi rebaixado, ano passado, em campo, e se salvou no STJD, e quase há cinco anos, por méritos próprios, evitou a queda numa das recuperações mais impressionantes e espetaculares que vi.

Dificilmente poderá contar de novo com algo parecido com o que houve no imbróglio Portuguesa/Héverton ou terá elenco para fazer igual àquele liderado por Fred faz meia década.

 

34 respostas a Torcedor do Flu deve se preocupar muito com a saída da Unimed; direção do clube será testada

  1. Renan disse:

    A sorte do futebol carioca é muito pouco utilizada pelos clubes, as suas categorias de base, são as melhores do país, ninguém revelou mais talentos que o Rio no Brasil…
    O futebol carioca sempre gostou de ser refém dos “medalhões”, sendo que a base pode ser a chave para o renascimento do futebol carioca…
    Não tenho dúvidas que o Fluminense passará por dificuldades, pois cada vez mais nesse país, sem grana não se faz nada…
    E ainda tem a divisão de cotas (sou corintiano, mas pra mim, as cotas de tv deveriam ser iguais entre todos os clubes Série A e Série B, assim prevaleceria quem fizesse melhor o dever de casa)…
    Os clubes grandes iriam se sobressair no patrocínio master, na bilheteria, mas a cota de tv, deveria ser igual!
    Se Corinthians, Flamengo, São Paulo, já estão passando por sérias dificuldades financeiras, de contratações, imagina os outros…
    Meu sonho seria ver o futebol brasileiro como o argentino, onde se vende jogadores a todo momento para Europa, Ásia, Brasil… Mas devido a escola, a base, eles conseguem repor praticamente no mesmo nível…
    É só ver que o melhor argentino do Brasil (Conca), fez carreira no Chile, não teve espaço no seu país…
    O Brasil precisa parar de investir em salários, e passar a investir na base, fazendo uma escola ofensiva, acabando com o gauchismo retranqueiro…

    • Ed disse:

      A Argentina também não consegue repor jogadores quanto você diz. Os times argentinos também estão sofríveis ultimamente. Quanto à cota, esse negócio de repartir igualmente, não dá certo. O que poderia ser feito, seria criar alguns níveis e premiar de acordo com a colocação no campeonato, assim minimizaria aquele problema de entrega de jogo e jogar com time reserva no final do campeonato.

    • marco brasil disse:

      Grande comentario Renan.

      abs!

    • Carijó disse:

      “A sorte do futebol carioca é muito pouco utilizada pelos clubes, as suas categorias de base, são as melhores do país, ninguém revelou mais talentos que o Rio no Brasil…”

      É? Enumera ai… 1(um) grande jogador do futebol brasileiro revelado pelos clubes do Rio nos últimos anos… Nixon? Muralha?

      Depois não querem ser a piada naciona… HAHAHAHAHAHAAH

    • CADUECO disse:

      Perfeito seu comentario. Entretanto vale a pena ressaltar que o maior problema dos clubes foi a lei Pele e eles somente agora estao se adaptando. Os clubes sao obrigados a fazerem contratos de profissionais com jovens ate de 14 anos e isso nao esta correto pois sem os clubes o jogador nao existe. Entao alguma adptacao na lei deveria ser feita onde mesmo depois de findo o contrato o clube teria direito a pelo menos 50% do valor do passe. Hoje a lei Pele beneficia empresarios principalmente e clubes estrangeiros que vem aqui pagam uma ninharia pois sabem que nossa lei nao protege os clubes brasileiros e depois eles vendem esses jogadores por valores ate 10 vezes maior do que o que pagaram.

    • Daniel Prudencio disse:

      Vitor, a unica saida para os clubes brasileiros “falidos” é um projeto de Sócio Torcedor bem feito e não esse modelo que está sendo por aí. O torcedor tem que se sentir mais parte do clube, ter contra-partida pelo valor pago. Na Europa o cara tem a mesma cadeira reservada todo jogo e tem participação na política e nas eleições também. Em alguns clubes eles viram “cotistas” como se fossem acionistas. Os planos aqui precisam de um plus.

  2. Fabiano disse:

    Ca*alho! O que o caso Flamengo/Portuguesa/Heverton tem a ver com a Unimed/Fluminense? E cadê a revolta do nobre colunista com o absurdo da Caixa escolher meia dúzia de times para colocar dinheiro público? A Unimed é uma empresa privada e coloca o dinheiro na quantidade que quer, onde quer. Acabou o acordo com o Fluminense, vamos para outro. Com certeza vai ser mais difícil, mas a vida continua.
    Lamentável o nível de nossa imprensa esportiva. A cada dia pior…

    • Ana Reuman disse:

      A CAIXA não usa dinheiro público , é uma empresa com natureza jurídica de direito privado.

      Ela investe onde quer e bem entende , assim como outros bancos.

      Ela investe nos clubes de maiores torcidas dos Estados.

      Fluminense é um clube com a torcida mais ridícula do país , altamente elitista ,conservadora .

      Paguem a série B

      • Fabiano disse:

        Ta… E a diretoria é indicada pela presidente…
        Com certeza você acredita que o Itaquerão vai ser pago pelo Corinthians e que não existe Flapress… E o que seria uma torcida elitista e conservadora? Uma que paga100reais num ingresso num estádio pago com dinheiro Público?

        • Reinaldo da Silva Soares disse:

          Não é que vai ser pago. Já está sendo pago já que toda verba arrecadada com o estádio vai para o comitê que gerencia a Arena. Só em termos de bilheteria a média este ano foi de 2 bilhões por jogo, excluindo o valor de estacionamento, lanchonetes e bilheteria. O dinheiro do estádio venho do BNDES agora o dinheiro da UNIMED, deve ter a mesma origem do dinheiro da PARMALAT na década de 1990.

          • Carlos Duarte disse:

            2 Bilhões???? Em que mundo você vive? kkkkkkkk
            O dinheiro da caixa é público sim! pois o “dono” da Caixa é o povo e o dinheiro que ela joga nos clubes deixa de ir para o cofres públicos!

  3. mito ceni disse:

    o fluminense é pequeno. a tendência é voltar pra segunda divisão e ficar por la

    • Robert disse:

      Fique tranquilo, qq q seja o seu time, o fluminense, por atrair imensa torcida contra, em todos os jogos q participa, além de seu passado e vencedor e torcida tricolor fiel de inesquecíveis festas no maraca lotado, enfim , por estes motivo s e audiências q vc presta ao tricolor carioca, ele está condenado à vitórias mil, como diz o hino. Vitórias mil por toda a eternidade, isso já não é mais do hino mas sim palavras do profeta nelson Rodrigues.

  4. Leandro Gouveia disse:

    Que venha o Wagner. rs

  5. Leonardo da Silva disse:

    Fala Vitor
    Posso me enganar, mas acho que os próximos anos do Fluminense lembrarão os anos 2001/2002 do Palmeiras, os primeiros pós Parmalat. Não quer dizer que cairá, como aconteceu com o Verdão, mas certamente passará apuros.

    Abraço
    Leonardo Silva, palmeirense de Caieiras

  6. João Sardinha disse:

    Obviamente que a gestão financeira do clube é super importante. Porém há outro fator talvez tão ou mais importante que a gestão financeira que é a “Gestão Técnica”. O palmeiras é o exemplo mais clamoroso disso. O time jogou um caminhão de dinheiro no lixo por pura incompetencia de dirigentes e técnicos que contrataram jogadores absolutamente fracos e sem nenhuma capacidade técnica. Ou seja, mesmo com uma folha de pagamento mais enxuta é possível sim montar um time competitivo e com ótimos jogadores.

  7. Roberto Paiva disse:

    Prezado Victor … As expectativas para o meu Tricolor, ao menos num futuro próximo, são sombrias. Como bem falastes, nosso “público” não é tão grande assim, no Rio somos a terceira ou quarta marca, não estamos sequer entre as dez maiores torcidas do Brasil. Isto conta, e muito, para os patrocinadores.

    Contamos com uma folha inchadíssima, onde muitos jogadores, na sua maioria medianos, se tanto, recebem duas ou três vezes mais do que receberiam em outras equipes. Durante a longeva e maluca parceria com a Unimed não construímos um estádio, sequer um centro de treinamentos … A formação dos meninos de Xerém não foi profissionalizada. Se craque o Flamengo faz em casa, no Fluminense dos últimos 15 anos, os craques (?) vinham de fora por valores absurdos.

    Nos acostumamos ao conforto proporcionado pelo Mecenas Celso Barros. A parceria do Fluminense foi como um casamento longo ou um emprego de muito tempo: nas Laranjeiras acreditou-se que a longevidade da relação nos levaria a eterna estabilidade. Não nos atualizamos, não nos preparamos para o rompimento, que sempre chegará, seja nas relações profissionais ou nos relacionamentos.

    Agora seja como o marido da Amélia abandonado, que só da valor à esposa quando a perde, sentaremos no meio fio, perdidos no momento. Ou ainda como aquele funcionário que se julgava imprescindível, confortável na inércia, passaremos por longo “desemprego” e nos agarraremos a toda e qualquer oportunidade.

    De saldo:

    A Unimed sai muito maior do que era em 1999. Em matéria de marketing, para o bem ou para o mal, teve sua marca exposta durante anos em horário nobre. Pense bem, só eu tenho umas 50 camisas do Fluminense com a marca da patrocinadora. Estamparei pelas ruas o nome daquela que nos abandonou por anos !!! Jogada de mestre !!!

    Para o Fluminense, ficará o sentimento de não ter aproveitado e se estruturado melhor nestes 15 anos de “vacas gordas”.

    Mas como torcedor do Fluminense, espero que o baque inicial e as agruras que virão, nos fortaleçam, e nos façam caminhar com as próprias pernas.

    Tal e qual no casamento, seguiremos juntos na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza (agora sim, pobres como nunca !!!). À patrocinadora que nos acompanhou durante estes 15 anos, obrigado.

    Nestes 111 anos de História já passamos por momentos difíceis, e superamos mais este.

    Vence o Fluminense!!!

    Grande Abraço.

    Roberto Paiva
    Vitória-ES

  8. Carlos disse:

    Os clubes precisam mais do que nunca gerir receitas com suas próprias forças sem depender de tv, patrocinios, etc… Vou dar um exemplo: o palmeiras é um time hoje muito contestado pela midia e, com razão, sobre sua forma de gerir o futebol, mas o palmeiras com o apoio da w.t construiu essa arena mais moderna do Brasil que sem sombra de dúvida é um aporte financeiro muito grande é só os dirigentes saber usar essa grana com inteligência que o palmeiras será um dos grandes vencedores no futebol. Outro exemplo é sua apaixonada torcida que abraça o time no bom e no ruim já passou dos 62 mil sócios, gerando finanças ao clube sem contar artigos de material esportivo. Os patrocinios (master) aos poucos vai deixando o futebol, a tv também, mas pode reduzir as cotas que não vai fazer mais diferenças. Acorda fluminense e aos demais que não tiver esse apoio que o palmeiras está construindo no momento.

  9. Se a Unimed sair, série B e justiça feita ! Será ?

  10. Munir Haddad disse:

    Birner, você acha que a “heróica” campanha de 5 anos atrás foi conseguida em campo? Esqueceu do Belluzo mandando o Simon pra aquele lugar? Por favor não seja inocente… como compraram funcionarios da Portuguesa, compraram há 5 anos atrás..

    Flu tem um patrocinador benemérito e oculto chamado STJD, cujo presidente não esconde ser torcedor do Flu, né Paulo Schimit !! Este sim é patrocinador vitalício..

  11. Não fosse a Uniomed ltda.,o Fluvééeééérgonha estaria na série D !

  12. Edilson disse:

    Faz tempo que vemos times aguerridos e com jogadores se destacando vindo de divisões inferiores. O Fluminense tem que fazer contratações inteligentes e dar chance para a garotada que tem competência e que quer mostrar serviço. Tem muita gente boa por aí. É só ficar de olho que dá pra formar um bom time, sem medalhões e sem muito dinheiro. Quando vou ao Maraca quero ver meu Fluminense jogando com garra, com vontade. Melhor futebol não há!

  13. frança carvalho disse:

    -não é da sua conta…

  14. Silvio disse:

    O Fluminense já anunciou o novo patriocinador . Eu escrevi anteriomente ( mas fui cortado ) que o texto era raso e nada denso . Tá aí a comprovação . Pode me deletar . Nào escrevo para o público , nas sim para o blogueiro .

  15. Leonardo disse:

    Tem ideia de quanto eram esses valores desproporcionais?

  16. horacio disse:

    o fluminenC vai voltar pro lugar q lhe é devido, a 2a divisao

  17. Robert disse:

    Birner, em 1999 no início da parceria unimed/Flu a unimed era a 3ª ou 4ª de seu segmento no Rj, atrás de entre outras amil e golden cross…Anos depois de patrocínio ao Flu, A UNIMED VIROU LÍDER DE SEU SEGMENTO NO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE DO RJ, sendo a torcida tricolor a de poder aquisitivo per capita maior do rj, deixando as outras cariocas no chinelo de dedo, enquanto os tricolores cariocas vestem mocassins italianos de couro de jacaré, enfim, se isso não é retorno de marketing, o q seria então?Nenhum casamento dura 15 anos se não for bom p/ as duas partes…Por este motivo, desde ontem aqui no Rj uma pergunta se impõe e tem sido repetida em todas as ruas, bares, esquinas: a unimed conseguirá sobreviver sem o Tricolor carioca?

  18. Daniel Prudencio disse:

    Vitor, a unica saida para os clubes brasileiros “falidos” é um projeto de Sócio Torcedor bem feito e não esse modelo que está sendo por aí. O torcedor tem que se sentir mais parte do clube, ter contra-partida pelo valor pago. Na Europa o cara tem a mesma cadeira reservada todo jogo e tem participação na política e nas eleições também. Em alguns clubes eles viram “cotistas” como se fossem acionistas. Os planos aqui precisam de um plus.

  19. lm_rj disse:

    Birner, a volta do engenhao será um fato novo no cenário do futebol do Rj. Os clubes terão uma ótima alternativa às taxas absurdas cobradas pelo consórcio maracanã, inclusive p/ realização de clássicos o engenhao é muito bom, como ficou provado nos anos q o maracanã esteve em obras p/ a copa.

  20. Leo Luiz disse:

    O fluminense tem uma torcida mediana,sem libertadires e mundial e esta na serie a ate hoje tapetão, tbm quando disputou a serie c migrou serie a. A unined bancou o fluzinho acabou devem pensar que sem dinheiro vão sofrer e a justiça sera feira serie b!!!

  21. Robert disse:

    Birner, Flu tem base forte de xerem, ex: zagueirao marlon já é realidade e hj titular indiscutível. Mas o Flu sempre foi bom comprador. Muitos anos atrás, antes da unimed existir, e talvez antes de vc nascer, este Fluminense cruzou a ponte aérea, adentrou o pq são Jorge e de lá retirou o maior ídolo jamais formado na base corintiana: um canhoto chamado Riva. O resto é história. Feliz 2015 e parabéns pelo blog.

  22. sergio mauricio disse:

    afinal, o que e esse mercado? o poder aquisitivo da torcida do fluminense e maior do que muita torcida por ai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>