20 jul

Sport esbanja entrosamento para vencer o São Paulo cheio de erros coletivos

Análise de jogos

De Vitor Birner

Sport 2×0 São Paulo

O entrosamento foi muito importante para o Sport ganhar.

Seus jogadores entraram em campo cientes do que deveriam fazer em prol do coletivo diante do time ainda em formação.

Por isso foram melhores.

O São Paulo teve várias dificuldades para colocar em prática a inteligente proposta do seu treinador.

Juan Carlos Osorio preparou sistema tático complexo, moderno inclusive nos padrões europeus.

A possibilidade de acontecerem equívocos na marcação, tal qual houve, era enorme.

Os individuais merecem mais questionamentos.

Ganso e Luis Fabiano, os renomados e até pouco tempo tratados por grande parte dos são-paulinos como intocáveis, foram expulsos e diminuíram a possibilidade de o time empatar.

Não há nada de novo quando, por qual motivo for, deixam a equipe na mão.

A arbitragem, não por causa dessas expulsões, foi muito ruim.

De qualquer forma, os três pontos ficaram com o time que os mereceu.

Entrosado

O Sport iniciou o jogo no 4-2-3-1 com variação para o 4-4-2. A formação base contou com Elber na direita, Marlone do outro lado e Diego Souza, entre eles, no trio de criação.

Quando o adversário tinha a bola no ataque. dois desses três atletas ficaram na linha dos volantes Wendel e Rithely, e o que não recuou ou permaneceu na meia ou mais adiantado, aberto, como segundo atacante.

O time entrosado, onde os jogadores conseguem fechar lacunas e se mexem de maneira coordenada, mostrou facilidade para compreender as necessidades da partida diante do São Paulo em formação.

Aplausos para Juan Carlos Osório

O treinador tentou implementar o 3-4-3  (meu esquema tático preferido), que exige muita inteligência dos jogadores e treinamentos para se adaptarem, mas, na prática, o time atuou no 3-4-1-2.

A linha de frente contou com Centurión na direita e Pato do outro lado.

Ganso atuou centralizado. Tinha que transitar entre o meio de campo e o ataque, mas ficou como meia, em frente ao quarteto que teve Thiago Mendes e Michel Bastos pelos lados, como alas, mais Hudson e Rodrigo Caio, que foram volantes.

A proposta coletiva é mais complicada de funcionar de maneira harmônica por diversos motivos;

Na marcação pelos lados,  os alas precisam entender quando devem ocupar a lateral, um de cada vez, ou os volantes precisam saber a hora de fazer a cobertura nos momentos em que o ala não consegue recuar.

Além disso, e o zagueiro deve compreender quando tem que ir à lateral, com o ala do outro lado, para formar a linha de quatro.

Se o adversário, por exemplo, mandar os meias pelos lados se posicionarem como atacante, é fundamental impedir o trio de zaga de ficar mano a mano com eles e o centroavante.

Tudo isso exige leitura de jogo muito rápida.

Na frente alguém precisa entrar na área ou ficar na meia-lua, como falso centroavante..

É lógico que o São Paulo cometeu erros, pois apenas com sorte conseguiria, diante da equipe ‘redondinha’ na parte tática, fechar todas as lacunas e se mexer, em campo, como plena sincronia com regularidade.

O treinador faz o certo ao insistir na modernização do jeito do time jogar.

Não pode ficar pensando na manutenção do emprego, na insatisfação da opinião pública (parte dos torcedores e jornalistas) e dos dirigentes, que em regra sequer compreendem a ideia do técnico, as razões dela e aonde pode chegar, se houver paciência, com isso.

O único porém para atuar neste esquema tático (tende a ser um pouco mais ofensivo, mas, se implementado com precisão, pode ser consistente atrás e se adaptar às necessidades do jogo) é que o ideal seria contar com ao menos um zagueiro rápido.

Mas não foi isso que criou as dificuldades para o time nessa partida.

Andamento

O Sport jogou melhor desde o primeiro tempo.

Teve mais posse de bola ofensiva e investiu mais nos ataques pelos lados.

André não ficou na área, parado, como pivô. Se mexeu para tentar a tabela com os companheiros, em especial com o trio de criação, e confundis o sistema de marcação são-paulino.

Diego Souza foi o principal organizador do time.

O São Paulo, no ataque, não encontrou seu falso centroavante.

Pato e Centurión ficaram muito abertos e por isso previsíveis; Ganso, que poderia entrar na área, não o fez.

Aliás, não há nenhuma novidade na dificuldade desse jogador se mexer como o time necessita, seja qual for o esquema tático.

O gol

O lance nasceu de um dos vários erros de marcação do São Paulo pelos lados.

Rodrigo Caio tinha que acompanhar o Marlone, que recebeu belo passe de calcanhar do André, pois o Lucão havia saído da área para marcar o centroavante.

Como o volante não fez a parte dele, Marlone deu assistência para Elber, na pequena área, com Michel Bastos perto, fazer 1×0.

Confusa e ruim

O jogo não foi tão complicado assim para quem tinha que impor as regras.

Mas o trio conseguiu irritar ambos os times.

Houve um lance em que Durval tenta cabecear e a bola bate no braço dele.

Como havia pulado, teve que abrir os braços para ganhar impulso e não perder equilíbrio.

No futebol, isso não é pênalti.

No neo-futebol, principalmente aqui no Brasil, tais lances muitas vezes são considerados infrações, por isso os jogadores do São Paulo, que tiveram alguns assim marcados contra si desde o início do ano, reclamaram muito.

Na jogada seguinte, André driblou Hudson, o volante colocou o braço no ombro do centroavante que despencou na área.

André Luis de Freitas apontou para a marca do pênalti, mas determinou que houve apenas a falta.

Não resta a menor dúvida que foi dentro. Se achou que aconteceu a infração, tinha que dar o pênalti.

A opinião do auxiliar, ali, tanto faz, pois o lance foi no lado oposto dele e em frente ao árbitro.

Houve um gol anulado de André, o qual pretendo acompanhar novamente para saber se a posição do atacante foi irregular.

E um impedimento de Pato, que não houve, quando o atacante recebeu a bola na área e ficou mano a mano contra o rival que o segurou ou por ter observado a determinação do bandeirinha ou para evitar que atleta fosse em direção ao gol.

Danilo Fernandes 1×0 Alexandre Pato

Pato ficou de frente para o goleiro em lance de contra-ataque, após receber o passe de Ganso, tentou driblar e o jogador do Sport conseguiu tocar na bola para impedir o empate.

Foi a melhor oportunidade do São Paulo.

Alterações

Eduardo Basptista, após o intervalo, trocou Elber por Ferrugem para reforçar a marcação na direita e ainda ter chegada na frente.  Sabia que o São Paulo atacaria muito daquele lado com Pato e Michel Bastos.

Juan Carlos Osorio, após alguns minutos onde o São Paulo aumentou a posse de bola e continuou com dificuldade de ultrapassar a marcação do Sport, alterou o esquema de jogo ao tirar Edson Silva, zagueiro, colocar Luis Fabiano como centroavante, recuar Michel Bastos e Thiago Mendes para as laterais, formar o 4-1-4-1 e pedir muita marcação na saída de bola.

Depois, adiantou Michel Bastos para a meia, aberto, no lugar do argentino, que saiu para Reinaldo entrar.

Regis e Rodrigo Mancha, aos 28, nos lugares de Wendel e Diego Souza, foram as últimas mexidas de Eduardo Baptista, que pareceu mais interessado em manter a força física do meio de campo que em alterar a proposta de jogo.

Cinco minutos depois, Thiago Mendes pediu para sair, Hudson foi atuar na lateral e Boschilia jogar na meia, ao lado de Ganso, com Pato e Michel Bastos pelos lados e Luis Fabiano, adiantado, como pivô.

São Paulo e suas estrelas

Dois ou três minutos depois de Juan Carlos Osório colocar o time com criação em todos os setores – obviamente fica mais vulnerável na marcação -, Ganso, que tinha amarelo, reclamou com André Luis de Freitas.

O meia sabe que a orientação é para mostrar o cartão e já tinha levado um noutro lance. Não houve rigor logo de primeira, ele insistiu na fala e foi expulso ao levar o segundo.

Luis Fabiano, pouco depois, fez a falta, por trás, ainda no campo de ataque, e mereceu cartão.

Já tinha sido punido antes e, por isso, excluído.

Ficou em campo cerca de 25 minutos.

Resolveu

O Sport, mesmo quando o São Paulo tinha 11 em campo, criou mais oportunidades, quase todas em contra-ataques.

Com dois jogadores a mais, desperdiçou algumas até André tocar para Ferrugem, na área. garantir o 2xo e os merecidos 3 pontos ao time.

Ficha do jogo

Sport – Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Rafael, Durval e Renê; Wendel (Rodrigo Mancha) e Rithely; Elber (Ferrugem) , Diego Souza (Regis ) e Marlone; André
Técnico: Eduardo Bapstista

São Paulo – Rogério Ceni; Lucão, Rafael Toloi e Edson Silva Luis Fabiano); Thiago Mendes (Boschilia), Hudson, Rogerio Caio e Michel Bastos; Ganso, Centurion e Pato
Técnico Juan Carlos Osorio

Árbitro: André Luiz de Freitas – Assistentes: Alessandro Rocha de Matos e Eduardo Goncalves

136 respostas a Sport esbanja entrosamento para vencer o São Paulo cheio de erros coletivos

  1. Nathan disse:

    Vou repetir mais uma vez.O atual presidente faz uma gestão vergonhosamente amadora,contratando muito mal e sem critério nenhum,jogadores caros,mas que não valem nem a metade do que realmente jogam.É imcompetente,arrogante e se julga soberano,infestando o ambiente do São Paulo com esse complexo de superioridade nojento,plantando inimizades,regando intrigas e picuinhas com o antigo presidente Juvenal Walker,menosprezando os outros clubes e colhendo o ódio e repúdio das outras torcidas.E td isso provoca sérios prejuízos fora e dentro de campo.Fora o que se vê é bagunça,desorganização,descaso,acomodação, conformismo,confusão,falta de seriedade e de comando.Os salários estão atrasados,o elenco está rachado,desmotivado,mimado,os jogadores desrespeitam a hierarquia do clube e as decisões do técnico,ganham muito e produzem muito pouco.Dentro de campo esse atual time do São Paulo é fraquíssimo,o pior de toda a história.Este elenco está abaixo do nível mediano,é destreinado,não tem padrão tático definido,não existe definição de quem é titular e reserva (embora eu saiba q com tantos jogadores ruins isso num faz muita diferença pois é dificil saber quem é o menos pior nesse time e seria sempre o mesmo que trocar seis por meia dúzia),e pra piorar ainda mais está havendo um desmanche do time (algo que também num faz diferença pela qualidade duvidosa dos jogadores mas que atrapalha o técnico que fica sem a alternativa do pelo menos “num tem tu,vai tu msm”).Pois bem,vamos ao elenco: O goleiro já está velho,sem reflexo,comete recorrentes falhas grotescas,e é frequentemente acusado de megalomaníaco,egocêntrico, orgulhoso,e supostamente panelinha.Dória é fraco,isso explica pq seu ex clube o liberou sem pensar duas vezes.Rafael Dodói tem graves falhas como zagueiro.Édson Silva é lento e estabanado.Lucão é o típico jogador tratado como bom mas que não passa de comum,é uma promessa eterna que nunca se cumpre.Bruno e Auro são muito abaixo de medianos.Carlinhos Avenida e Reinada tem deficiências técnicas absurdamente visíveis e inaceitáveis, ambos não sabem marcar,nem fazer cobertura,e o pior de tudo é que não sabem nem cruzar direito,será q são mesmo laterais? Rodrigo Caio é outro que é endeusado mas q não mostra nada que outro da msm posição já não faça igual ou melhor do que ele.Wesley desde que saiu do Palmeiras,morreu.Thiago Mendes não mostrou pra que veio,se é que veio pra algo e tem algo pra mostrar.Quem é esse Hudson? aquele da dupla sertaneja? Souza é tecnicamente pobre e sofrível,não sabe chutar pro gol e erra passes bisonhos de apenas dois metros.Michel Bastos não é mal jogador mas é muito indisciplinado e desrepeita o técnico.Bostilha é outra prova viva de que não é pq um jogador veio da base que ele é bom.O Gansono tem boa técnica,mas em compensação é parado,lento,mimado,não tem humildade pra marcar,não corre,não divide a bola,não dá carrinho,não dribla,não dá o sangue,não se esforça,não tem brio nem vontade,é apático e tende a sumir qd precisa chamar a responsabilidade.Vive do passado,e pode-se dizer q quando o Gansono está em campo (se é que alguma vez ele entrou),é como se o SP jogasse com um a menos o tempo todo pois ele não coopera.E pra piorar,parte da torcida e da imprensa parece blindar e mimar esse cara.Centurión é o maior fiasco,total perda de tempo e dinheiro.14 milhões por um jogador que só faz firula,fala demais,mas jogar msm que é bom não joga nada.Jonathan Cafu foi outra barca furada que o SP comprou.Alan Kardec também foi outro que após deixar o
    palmeiras,se afundou e não é mais o msm jogador.Tem também o grande Alexandre Marreco q esqueceu de jogar bola ou finge que eskeceu,mamando dinheiro de SP e Corinthíans sem fazer nada.Nas entrevistas dele é sempre o mesmo clima de velório,olhar distante e discurso manjado e previsivel: “é levantar a cabeça e trabalhar”,”to feliz no SP e desejo ficar” e blá blá blá.Sempre as mesmas desculpas pra um futebol abaixo do que ganha.Parece um almofadinha que só quer saber de namorar,tirar foto e aparecer.E por fim pra assinar o atestado de ruindade deste time,temos o aclamado da torcida modinha,o fabuloso Luís Pipoca;este já foi bom qd tinha mobilidade,arranque e velocidade e motivação,mas o que se vê hoje é uma caricatura,um arremedo do passado,um jogador irreconhecível,poste pesado,acomodado q também vive do passado,ganha muito,produz nada e ainda por cima causa inúmeros prejuízos ao SP com seu temperamento imprevisível,criando polêmicas,fazendo gols inúteis em times pequenos ou em jogos sem importância,mas nos clássicos sempre amarela e some,e isso qd ele não força cartão no jogo anterior pra fugir deles.
    Aí está,este o retrato atual do SPFC,um time q vive do passado e q se esqueceu q o futebol é cíclico,e que ninguém é soberano eterno.Um elenco mal treinado,sem tática,sem padrão,sem cara,sem alma,sem vontade,rachado,
    conformado,mimado,e cheio de jogadores comuns e abaixo de comuns mas que são tratados como estrelas de grande qualidade técnica e endeusados de forma absurda.Acho que disseram que o São Paulo tem um bom elenco e eles acreditaram.Agora me digam…onde esse time é bom? nem aki nem na China.Portanto é inútil e perda de tempo montar qualquer esquema tático com esses atuais jogadores do SPFC pois nenhum deles tem pelo menos uma qualidade técnica mediana.Escalar o SPFC com esses jogadores é o mesmo que chover no molhado.

    • Paulinho Sabathé disse:

      Ahhhn, acho que você não é Tricolor.
      Acertei? Não?
      Deixa o Joaquim Paulino ler isso pra você ver.

    • Joaquim Paulino disse:

      O elenco do SPFC continua bom, apesar das saídas do excelente Souza e do combativo Denílson. Dória também é um desfalque e o SPFC faz bem em tentar contratá-lo em definitivo. Acho que você não passa de um torcedor-modinha, cai fora, mude de time, o SPFC não precisa desse tipo de torcedor. Isso aqui é Soberano, somos mesmo melhores do que os outros , isso não é arrogância, é a verdade, ninguém tem os títulos que o Soberano tem e com muito menos tempo de vida. E tenho dito

      • Paulo disse:

        Soberano só se for em dívidas feitas pelo beberrão e agora muito mal geridas pelo falastrão, bobalhão e outro ditador de plantão.

      • Velosão disse:

        Entra post e sai post e o sr. sabichão(com ch, viu!) Joaquim”pretérito”Paulino continua o mesmo. Não é à toa que é o sr. faz a alegria de todos por aqui, com a infinidade de sandices que profere. Todavia, dos seus “iluminados”(rs) pitacos nesse blog nosotros não podemos prescindir, senão o que seria da chacota? Nesse quesito, pelo ao menos o sr. Ivan Moisés o supera, já que o mesmo não se leva tanto à sério no fanatismo. Au revoir, soberbo! Saudações Celestes!

    • china disse:

      Nathan , parabéns pela sua análise,está hilário seu texto,mais hilário que isso só o futebol do tricolor….

  2. Rafael disse:

    A proposta do Osorio foi inteligente, mas para se jogar no Morumbi. Sabemos que fora de casa o São Paulo não tem ido bem, pois alguns de seus jogadores não são competitivos o suficiente, com o agravante da displicência. Jogar no Morumbi é mais fácil porque obviamente, os adversários vem para se defender, então esses mesmos jogadores displicentes não precisam ajudar tanto na defesa. Para atuar nesse esquema, os alas são muito importantes, pois exercem função importante tanto no apoio quanto na defesa. Não tinhamos exatamente dois alas, tinhamos dois meias improvisados. Também os atacantes de lado teriam que ajudar a recompor. Tanto Pato quanto Centurion, não tem essa característica, porém, Centurion tenta. Pato nem isso. Outro erro individual importantíssimo foi o gol perdido por Pato, esse por pura displicência. O empate teria sido fundamental pra frear o ímpeto do Sport para o segundo tempo. Falando ainda em erros individuais, Rafael Toloi cansou de “entregar a marmita”, não acerta um atacante, não dá um bote, não para um ataque, não fecha um lance. A única coisa que faz é cercar e assistir os atacantes adversários e perder bolas quando quer inventar de subir ao ataque. Osorio errou também ao insistir com Ganso. já deveria tê-lo tirado no intervalo. Poderia ter colocado João Paulo, ou até mesmo outro lateral esquerdo (nesse caso, passaria o Michel pra ponta esquerda e o Pato sendo o “falso 9″). Também errou Osorio em colocar Luís Fabiano, já com a cabeça no México. Era mais apropriado dar chance a João Paulo e Boschilia, pois estes entrariam com muito mais vontade. Outra coisa que me admira é que em todas as bolas cruzadas do fundo, sempre um atacante aparece vindo de trás nas costas dos zagueiros e consegue finalizar. Foram 3 gols assim contra o Sport (contando com o de André, anulado corretamente), inumeros outros tomados ao longo do ano da mesma forma. Cruzou do ultimo terço do campo, buscando a segunda trave, é gol. Quanto a arbitragem, só achei bizarro o lance do penalty. Provavelmente, ele apitou por impulso, depois foi avisado por alguém que o André se jogou com o contato mínimo, como já tinha apitado, voltou atrás e deu fora da área pra não se complicar. Não vou comentar as expulsões, porque essas fazem parte do neo-futebol, ou como prefiro, da ditadura do apito imposta pela CBF. Um esporte de regulamento ultrapassado, como o futebol, nas mãos de uma entidade ultrapassada, como a CBF, só poderia resultar nesse retrocesso.

  3. jose tinarelli disse:

    Nathan, faço minhas as suas palavras e, acrescento: Milton Cruz, ja deu o que tinha que dar.

  4. Davi disse:

    Parabéns pela bela análise. Gostei muito quando diz que Osório deve insistir em fazer aquilo que deve ser feito. Senão vamos ficar pra sempre naquele futebolzinho, precisamos dar um passo além. Mas não é fácil corrigir tantos vícios.

  5. João Sardinha disse:

    Ganso tá morrendo de dar risada, vai rachar o bico de ganhar dinheiro em Orlando. Os torcedores que não o querem no SP vão procurar outra vítima para pagarem o Pato.

  6. Leandro Gouveia disse:

    Birner,

    eu concordava com os argumentos contra a contratação do Lugano.

    já estou começando a mudar de idéia.

    futebol ele não jogaria menos do que nenhum dos zagueiros que temos hoje. ele não seria mais lento que Edson Silva.

    mas o principal aspecto que me faz começar a repensar é que acho que ele aceitaria, por exemplo, nem ser relacionado para uma partida se isso fosse, dentro do contexto, o melhor para o São Paulo. acho que ele jogaria junto com o Osório e traria para o elenco uma personalidade que não temos mais, pois acho que o Rogério não é mais um motivador para esse grupo.

    o que você pensa sobre o assunto? gostaria de sabe!

    abs

  7. Ivan Moisés disse:

    Se a Taça Rio de 1951 é um título mundial,eu sou Engelbert Hunpendinck !

    • ROCCO-SP- disse:

      Seja o que voce quiser,meu filho!
      Faça uma petição a FIFA !
      Ou retirem aquele PRIMEIRO MUNDIAL DE CLUBES ganho por um time de FUTEBOL BRASILEIRO , ou fará greve de fome, e nunca mais entrará nesse blog!
      Como em PIRATAS DO CARIBE III, a A HISTÓRIA FOI CONTADA, o que eu não sabia é que aquele Mundial serviu até de INSPIRAÇÃO para a CRIAÇÃO DA CHAMPIONS LEAGUE!
      Portanto senhores, onde sempre teve o INICIO DE TUDO, sempre esteve a SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS !
      Ah, importante CAMPEÃO MUNDIAL FIFA antes de 1974, onde começou a CASA DA MÃE JOANA, de JOÃO HAVELANGE,BLATTER E SEUS BLUE CAPS!

      • Paulinho Sabathé disse:

        Não tá no site.
        Então ela não reconhece.
        Ninguém sensato reconhece.
        Foi mal lembrar.

        • ROCCO-SP- disse:

          No site da FIFA também diz ali que a ABERTURA DA COPA 2014 no BRASIL foi realizada na ARENA SÃO PAULO!
          Você concorda também??
          Deculpe lembrar dessa também, quando vcs dizem ARENA DA ABERTURA DA COPA, ninguém sabe de CORINTHIANS lá em ter ESTÁDIO!

        • ROCCO-SP- disse:

          E quem é que dá valor a FIFA DE HAVELANGE E BLATTER??
          Só vcs mesmo!!

  8. Nathan disse:

    É preciso ser sensato,este técnico está fazendo o que pode e ainda está sendo acusado de milongueiro e professor pardal,algo que é injusto.Mas convenhamos,não faz nenhum sentido trazer outro técnico se o mesmo vai continuar escalando os mesmos jogadores descomprometidos como o Luís Fabulixo,Gansono e o Pato (Marreco).Mesmo assim acredito que o Professor Pardal tem parte de responsabilidade nesta situação pq ele não tem saco roxo e personalidade para tirar esses caras do jogo e dizer “Enquanto vcs não reconectarem e não voltarem a jogar bola com vontade vcs estão fora por tempo indeterminado”.Ele poderia fazer isso mas não faz,e se fizesse e fosse repreendido pelos seus superiores ele deveria falar o seguinte “Se eu num tenho autonomia pra escolher o que é melhor para o time então eu pego meu boné e tô fora”.O elenco já é fraco,e ainda sem vontade piora td.É melhor colocar jogadores tecnicamente inferiores mas que tem faca nos dentes e vontade de jogar,do que colocar jogadores com técnica mas sem vontade de ganhar e sem brios.Um time tecnicamente mais fraco e com vontade será sempre mais produtivo do que um time com técnica mas sem vontade.Mas o Pardal ou não enxerga isso ou num tem personalidade pra executar.

  9. tossan disse:

    Rapaz! Acorda, o Sport é um grande time dentro de casa, porém fora não. Pense futebol realidade… Não sonhe acordado. Você fica parecendo o Dunga. Você deve ser corintiano.

  10. lm_rj disse:

    Birner o inter acaba de sair da libertadores e todos do tigres estão de parabéns.
    Deixaram ótima impressão o jogo de hoje foi taticamente perfeito. Time frio, maduro, toque de bola excelente, exemplo de jogo coletivo. Resumo : time muito bem treinado.
    Aí eu chego onde queria Qdo comecei esta mensagem: Este técnico brasileiro do tigres Tuca Ferreti já está consagrado na minha opinião. Esse cara precisa ser entrevistado pelos nossos jornalistas da mídia brasileira.
    E quem sabe vir treinar um de nossos times o quanto antes.
    Precisamos de técnicos de competência e coragem como demonstra ter o sr Tuca Ferreti.
    Abs e parabéns pelo blog.

  11. WALDIR M NUNES disse:

    BOA TARDE

    GOSTARIA DE SABER A RESPEITO DO REBAIXAMETO DO SAO PAULO FC NO ANO DE 1991 POIS ESTA RESPOSAT VALE UM ALMOCO UM AMIGO ME DISSE PARA PEGAR A VERDADE EM SEU BLOG MAS NAO CONSEGUI ENCONTRAR
    GRATO WALDIR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>