Radinho de Pilha

3 respostas a Radinho de Pilha

  1. Marcelo disse:

    Aí, Birner!

    Sabadão é aniversário do meu amado Bugrão, único campeão brasileiro do interior!

    Parabéns ao meu amado Bugrão! Na vitória ou na derrota, hoje e sempre Guarani!

    Abraço,
    Marcelo

  2. Boa Noite!!!

    Venho por meio desta demonstrar minha FRUSTRAÇÃO, DECEPÇÃO, INDIGNAÇÃO e INSATISFAÇÃO com a formas de venda de ingressos no vosso site.
    Sou Sócio Torcedor desde 2008 e vou ao Morumbi desde os 5, 6 anos.
    Sempre comprei por internet e também nas bilheterias, assisto todos os jogos do SPFC no Morumbi e hoje me senti HUMILHADO por ter ficado o dia inteiro tentando adquirir meu ingresso, ouvindo brincadeiras dos amigos de trabalho dizendo que ser Sócio Torcedor não vale nada, que fulano ou sicrano que nunca foi no estádio já tinha comprado.
    Não acho que eles não podem participar da festa, mas….
    Na minha humilde opinião acho que deveria começar as vendas primeiro para os sócios através da internet e depois abrir para os demais, poxa pagamos mensalidade para ter esses privilégios, não acham?
    Desculpe pelo desabafo, mas minha frustração está falando mais alto e tem mais chegar em casa e o meu FILHO me esperando todo alegre achando que ia participar da sua primeira final de campeonato, que legal chegar e dizer para ele que ficamos de fora da festa!!!

    O que faço agora?

    Vou na porta e compro de CAMBISTAS?

    Sim, tem muitos cambistas na porta do estádio de futebol e sempre me pergunto como adquirem ingressos se já vendeu tudo por internet, ou as filas nas bilheterias estavam quilométricas!!!

    Sei que desta estou fora, mas vou repensar nas minhas idas aos estádios de futebol, sou tratado como gado pelos responsáveis pela nossa segurança, sou mal tratado se tiver sede ou fome, se depender do tamanho do jogo ir ao banheiro é impossível, as escadas estão cheias de gente sentadas ou mesmo em pé.
    É minha gente e vamos ter copa do mundo no BRASIL.

    DESABAFO DE MAIS UM TORCEDOR ANONIMO….

  3. Erlandsson Oliveira disse:

    Amo o São Paulo e isso é motivo de orgulho para mim. Um amor sem limite, irreversível e, por vezes, insano. Mas a diretoria fez com que esse amor sofresse um duro golpe. Não vai acabar nunca, fiquem tranquilos. Sei escolher o que há de melhor. Mas hoje esse amor está abalado. Estou chateado sim. Mas eu amo, e isso faz com que eu queria reconciliar, jamais separar. Por isso escrevo essa carta.

    Ano passado, o SPFC lançou o plano Fabuloso para quem quisesse se tornar sócio torcedor. Eu atesto que o plano fez jus ao nome!

    Junto com outros dois amigos, aderimos a esse plano. Na real, migramos para esse plano, pois somos sócios já faz um tempo considerável. Dividindo o valor total entre nós, pagamos o valor anual de aproximadamente R$ 650,00 per capita. Tínhamos, por direito adquirido, entrar em TODOS os jogos onde o SPFC era o clube mandante. TODOS! No Morumbi, ficávamos na antiga arquibancada azul, centralizados, com excelente visão de jogo. Puder ver as arrancadas do Lucas, que tanto nos honrou. Na Arena Barueri, sentávamos na numerada. De lá, vi o centésimo gol de Rogério Ceni. No Paulo Machado de Carvalho, seja para ver uma goleada de 5 x 0 ou o renascimento do Expressinho (time composto por reservas, mas que terminou uma certa partida aos gritos de olé) nos acomodávamos nas arquibancadas verde e/ou amarela. Um plano fantástico, vantajoso e que era invejado por amigos que (vá entender!?) torcem para times adversários.

    Se dividirmos esse valor por 12 meses, seria o mesmo que pagar aproximadamente R$ 55,00 por mês. Era muito vantajoso! E o engraçado é que alguns consideravam os integrantes do Plano Fabuloso como sendo pessoas ricas, “abastadas” (li esse termo em um fórum de internet e o memorizei) e que gostavam de gastar dinheiro com o clube. Para completar, fomos agraciados com um kit que continha:

    - camisa do Plano ST;
    - camisa oficial de jogo;
    - squeeze;
    - chaveiro;
    - boné;
    - caneca.

    Em 2011, sem direito aos brindes, a “Arquibancada Visa” (antigo setor amarelo) custava R$ 360,00 anual e eu também entrava em TODOS os jogos onde o SPFC fosse mandante.

    Entendo que o aumento de valor de 2011 para 2012 foi proporcional ao serviço/produto ofertado. Proporcional não: superior! Agora, fazendo uso do tal bom senso que tanto apregoam nos dias atuais, qual a vantagem que o clube me oferta em 2013?

    Agora, tenho duas opções de planos: o Standard e o Premium. Isso, por si, já é um absurdo! Somos 18 milhões, a terceira maior torcida do país. Aquela que, na década de 70 ocupava o décimo lugar nas pesquisas. Nossa torcida cresceu demais, provavelmente o maior crescimento entre todas. Temos diversos perfis de torcedores. E a diretoria divide em apenas dois grupos os milhões de sãopaulinos espalhados pelo Brasil. Que criassem diversas categorias: da arquibancada de R$ 10,00 até um plano ultra-VIP que fosse buscar o sujeito em casa e servissem caviar no intervalo das partidas, mas que pensassem com a grandeza que o clube tem e merece.

    Mas vamos aos planos. O Standard custa R$ 30,00 por mês e o Premium R$ 100,00 por igual período. Ah, agora sentarei na numerada, ganharei um agasalho de jogo e terei o dobro de brindes, correto?

    Errado! Não ganharei camisa alguma, não terei direito a nenhum brinde. Aliás, cabe uma pergunta: como os jogadores estampam uma campanha publicitária usando uma camisa que, teoricamente, não existe? Sou contador, o que sei de publicidade e propaganda é mero palpite. Mas, ao entrar no site, posso ver alguns jogadores usando uma linda camisa que, por sorte, ganhei no ano passado. Acho, empiricamente, que isso está errado. Eles estampam um produto ao qual eu, fanático torcedor-consumidor, não tenho acesso. Vamos fazer um rápido exercício de imaginação: um por cento da torcida são paulina gostou daquela camisa e quer comprá-la, um cenário pessimista. Será que o clube não teria uma boa receita com a venda dessas camisas? Francamente… ou estou na profissão errada, ou estão subestimando o poder de compra da torcida.

    Agora, quem aderir aos novos e revolucionários planos, terá descontos e a preferência de compra dos ingressos, proporcional ao valor pago. E, como não posso ser injusto, terá também descontos em iogurte, bebida e mais uma ou outra especiaria. Perdão, mas isso pouco me importa! Eu quero mesmo é ver Lúcio, Wellington, Cortez, Ganso e Luís Fabiano mesclando garra e talento, vitórias e títulos. Quero ver cada segundo dos prováveis últimos jogos (e gols!) do mito Rogério Ceni, o maior jogador da história do meu time. Quero ostentar o meu manto sagrado em solo especial!

    O clube que tanto amo, que tanto glorifico, ao invés de me agraciar com um plano inovador e ainda mais vantajoso, retrocedeu. Com o benefício que tive sendo sócio-torcedor nos últimos anos, assisti vários jogos, desde a fase inicial do inócuo e desnecessário Campeonato Paulista até a final da Copa Sulamericana. Encarei chuva e sol, derrotas e vitórias. E como “recompensa”, eis os novos planos… Justo em um ano promissor, que cheira à títulos e partidas memoráveis.

    Ao menos no meu caso, o tiro saiu pela culatra. Não vou aderir a nenhum plano. Não é segredo algum que estádio é desconfortável, que é perigoso deixar o carro nas imediações e que o horário (principalmente no meio da semana) não ajuda. Há uma probabilidade enorme de eu converter esse valor no combo “assinatura de pay-per-view / churrasco / pizza / bebida” e virar o tal “torcedor de sofá”, “torcedor de radinho”, ou qualquer outro termo designado para quem se afastou dos estádios. E, atesto, entrei em alguns sites e fóruns de internet, e constatei que a maioria ficou descontente.

    E não me falem que o clube tinha prejuízo com os planos anteriores, por favor. Não há número que vá me convencer disso. Entendam: uma pessoa que se associa, quer sentir o orgulho de ter o afago de receber a camisa mais bonita do universo no seu endereço. A pessoa que se associa quer se sentir diferenciada, íntima do clube que ama. Quer se sentir próxima e espalhar isso para outros torcedores. Quer fazer com que todos sintam o mesmo prazer. Eu divulgava os benefícios para outros sãopaulinos a todo instante, sempre buscando trazê-los para o mesmo plano. Não há dinheiro que pague esse sentimento!

    Enfim, tenho a esperança que criem algo vantajoso para quem sempre esteve sentado nas arquibancadas do Morumbi. Não sei se esperança ou ilusão, mas tenho um sentimento. É a história de quem ama: quero somente o bem, jamais a separação.

    Saudações tricolores.
    Erlandsson Oliveira, sãopaulinos desde vidas passadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>